Por que apenas 1% das pessoas com deficiência estão empregadas?

Square

De acordo com dados do IBGE, dos 45 milhões de brasileiros que declararam serem pessoas com deficiência, apenas 1% está dentro do mercado formal de trabalho. Segundo o professor e advogado, especialista em direito público, direitos humanos e direito da pessoa com deficiência, Alexandre Nápoles isso acontece por vários fatores. Confira o vídeo:

O preconceito enfrentado pelas pessoas com deficiência desde o núcleo familiar, aliado à falta de programas de reabilitação para os trabalhadores com deficiência, são fatores determinantes que prejudicam a inclusão desses indivíduos no mercado de trabalho. Porém, ainda de acordo com Alexandre Nápoles, a postura do empresariado brasileiro também contribui para falta de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. Confira no vídeo:

Podemos concluir, então, que vários fatores são responsáveis pela falta de inclusão dos trabalhadores com deficiência no âmbito profissional.

Preconceito familiar: provoca menos acesso a uma melhor qualificação.

Falta de acessibilidade: as cidades e empresas não são acessíveis para pessoas com deficiência

Falta de políticas de reabilitação: mesmo sendo seu dever, o estado não faz políticas públicas de reabilitação para que as pessoas com deficiência possam se manter ou voltar ao mercado de trabalho

Mentalidade do empresariado brasileiro: os empresários brasileiros não valorizam esses trabalhadores e muitas vezes não estão dispostos a pagar mais de um salário mínimo para pessoas com deficiência, independente da função exercida. Isso faz com que a maioria prefira ficar em casa recebendo o benefício financeiro do governo o BPC.

É importante salientar que as cotas exigidas por lei são essenciais para melhorar esse cenário de exclusão do trabalhador com deficiência, mas tudo que foi dito acima confirma que é preciso evoluir em vários outros aspectos para que o número de pessoas com deficiência aumente no mercado de trabalho.

Leia mais:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *