Inclusão é para todos

Square

Fundada há 70 anos, a Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) é uma instituição educacional criada a partir de princípios religiosos. A universidade busca ter um olhar diferenciado para questões sociais e essa postura garante que a instituição seja um espaço plural e humanista. Porém é importante ressaltar que na época de sua fundação as pessoas com deficiência eram ainda mais discriminadas, e muitas vezes excluídas, socialmente e isso também se refletia de certa forma na Unicap.

Um exemplo comum deste problema são as construções antigas que não tinham e muitas ainda não têm acessibilidade para receber pessoas com deficiência. A universidade também apresenta alguns problemas estruturais que já deviam ter sido solucionados há bastante tempo.

Mas com o tempo as pessoas com deficiência foram conquistando espaço socialmente. O Brasil sancionou leis que garantem vários direitos para essa parcela da população. Entre as mudanças mais significativas está a obrigatoriedade de empresas com mais de cem funcionários contratarem deficientes e também que as empresas e instituições do país precisam se adaptar estruturalmente para receber essas pessoas.

Diante de todos esses avanços, a Universidade Católica como empresa precisou se adaptar. A chefe da divisão de pessoal da empresa, Valdice Dantas, fala sobre essas adaptações: “Trabalho na Unicap há 54 anos e acredito que a parte humana e religiosa da instituição é um diferencial na questão das pessoas com deficiência. Mesmo antes da lei já tínhamos funcionários com deficiência trabalhando na empresa, mas a lei trouxe formalidade ao processo contratual desses funcionários”.

Valdice conta como é feito o processo de seleção dos funcionários e afirma que atualmente a empresa cumpre exatamente o que é exigido por lei.

A chefe da divisão de pessoal, Valdice Dantas, em entrevista ao site Eficientes

“O candidato com deficiência concorre normalmente a vaga de emprego, a não ser em casos específicos que eu queira contratar uma pessoa com deficiência para desempenhar determinada função. Atualmente a Universidade conta com aproximadamente 900 funcionários, como exigido por lei, 4% tem alguma deficiência ou seja 36 funcionários”.

Na parte estrutural, a universidade também tem muito o que melhorar e isso acaba interferindo no processo de contratação do deficiente. “A empresa tem se esforçado para fazer as adaptações, mas ainda é preciso melhorar. Na hora de contratar uma pessoa com deficiência, observo se ele conseguiria trabalhar bem naquele setor. Caso contrário não posso contratar ou devo realocar aquele funcionário em outro setor da universidade”, afirma Valdice.

Segundo o arquiteto da Unicap, Alex Lucena, a instituição tem consciência desses problemas estruturais e está trabalhando para resolvê-los. “Foi feito um diagnóstico dessas questões da Unicap e, a partir dele, em parceria com o núcleo de inclusão e acessibilidade da Universidade, traçamos um plano diretor para solucioná-las. O plano consiste em ações que estão sendo feitas desde 2017 e vão até 2026, visando tornar a Católica um local completamente acessível e, desta forma, receber melhor os alunos e funcionários que têm alguma deficiência”.

Também segundo Alex, esse projeto não diz respeito somente à parte interna da Universidade. “Vamos adaptar toda parte de banheiros, rampas e sinalizações dentro da Unicap, além das áreas de circulação dentro e fora da Católica. O entorno da instituição também vai ser adaptado, pretendemos recuperar as ruas e calçadas próximas. Contudo, essa parte não depende só de  nós”. Confira no vídeo:

Leia mais: